Video da Semana

Sony admite que 2015 não foi forte como esperava, mas promete 2016 incrível

Sony admite que 2015 não foi forte como esperava, mas promete 2016 incrível

Este foi um ano glorioso para a indústria de video games. Tivemos títulos do calibre do The Witcher 3: Wild Hunt – oficialmente o jogo do ano, e merecidamente –, Batman: Arkham Knight, Metal Gear Solid 5: The Phantom Pain, Fallout 4, Rise of the Tomb Raider, Bloodborne, Halo 5: Guardians, Xenoblade: Chronicles X, só para citar alguns. Mas... A Sony é considerada por muitos como “só promessas”, com poucos exclusivos de peso que de fato estão no PS4 agora.
O line-up de títulos first-party da gigante, apesar de ter contado com nomes como Bloodborne, The Order: 1886 e Until Dawn, ficou longe daquilo que a empresa resguarda em seu portfólio de exclusividades. Michael Ephraim, diretor de gerenciamento da divisão australiana da Sony Computer Entertainment, admitiu que 2015 “não foi tão forte” quanto a equipe gostaria, mas deu a contrapartida com um 2016 promissor, que terá The Last Guardian, Street Fighter 5, No Man’s Sky, Gran Turismo e Uncharted 4: A Thief’s End como “três dos melhores games” do ano que vem.
“Os jogos que saíram este ano, de Destiny [The Taken King] a Call of Duty [Black Ops 3] e Star Wars [Battlefront], tiveram a nossa colaboração para conteúdos adicionais no PlayStation 4, então estamos muito confiantes com a forma pela qual o Natal está caminhando. A demanda é alta. Trabalhamos próximos aos third-parties este ano porque nosso line-up de first-parties não foi tão forte quanto gostaríamos”, admitiu o executivo em entrevista ao Gamespot.

2016: um ano “incrível”

Para ofuscar o aspecto “não tão forte” quanto a Sony queria, o diretor lembrou os títulos de peso que saem em 2016 para o PlayStation 4 e endossou a próxima temporada. “Ano que vem, nosso line-up de first-parties está incrível. Temos Street Fighter [5], Uncharted 4, No Man’s Sky, The Last Guardian, Gran Turismo. Todos esses jogos são exclusivos, e dois deles são franquias novas”, ressaltou.
Comparando friamente, os dizeres de Ephraim se equiparam aos que Andrew House, presidente da Sony Computer Entertainment, disse no começo deste ano, quando admitiu que o line-up do PS4 “seria um pouco escasso”.
Nos fóruns de discussão mais acalorados, as discussões entre os fãs das marcas são intensas. Do seu lado, o Xbox One tem, este ano, Halo 5: Guardians, Forza Motorsport 6 e Rise of the Tomb Raider, todos bem avaliados e aceitos amplamente pelo público. O PS4 se destacou por Bloodborne e a grata surpresa Until Dawn, mas The Order: 1886 não vingou. Sem mencionar os indies de destaque que cada plataforma tem.
Só que a Microsoft, em 2016, também tem vários coringas na manga. Na verdade, em termos de quantidade, o Xbox One terá até mais exclusivos de peso do que o PS4: Quantum Break, Crackdown, Gears of War 4 (se realmente sair ano que vem), Cuphead, Sea of Thieves (nova proposta da Rare), Halo Wars 2 e Scalebound são nomes fortíssimos para a família Xbox.

Vamos pegar a pipoca e ver essa guerra!

E para nós, o que resta? Bora assistir a essa briga de camarote, porque 2016 realmente está disputado. E quem ganha com isso somos nós, jogadores.

Fontes